Ainda não há acordo entre Paris Saint-Germain e Barcelona, porém, o jornal francês L’Équipe divulgou na manhã desta quinta-feira que o clube francês aceitaria liberar o jogador Neymar por, no mínimo, 100 milhões de euros (R$ 452 milhões), mais dois jogadores do time catalão – jogadores esses escolhidos a dedo.

Essa quantia é bem abaixo daquela desembolsada pelo PSG em 2017, de 222 milhões. No entanto, diante de toda a aura formada sobre essa negociação, o descontentamento da torcida em relação a ele e o desejo do jogador de sair teriam feito o clube abaixar o valor. No entanto, 100 milhões de euros seria a quantia mínima aceitável, segundo o periódico francês.

Isso porque o clube quer fechar uma contratação de peso ainda nesta temporada, casos de Donnarumma, do Milan, e Dybala, da Juventus, que circulam na imprensa internacional como possíveis alvos. No entanto, não há acordo por enquanto com o Barcelona, principalmente por conta das recentes contratações do clube (Griezmann e De Jong).

Outra condição imposta pelo PSG teria sido o desejo de escolher a dedo os jogadores que viriam com a compra de Neymar. Nomes como Philippe Coutinho, de Nelso Semedo e de Dembélé agradam ao diretor Leonardo, afirma a publicação.

Enquanto seu futuro não é decidido, Neymar treina separado dos companheiros em Paris. Ainda sem estar 100% fisicamente, o atacante ficou de fora de duas partidas oficiais da equipe na temporada, a vitória sobre o Rennes na decisão da Supercopa da França e a vitória sobre o Nimes na abertura do Campeonato Francês.